Quando os agentes norte-americanos recorreram a gás lacrimogéneo e a disparos com balas de borracha para travar a fúria dos manifestantes que pediam justiça pela morte do adolescente negro Michael Brown, algumas pessoas gritavam «Faixa de Gaza» nos confrontos com a polícia, após dias de tumultos e saques na cidade.

Mariam Barghouti, uma aluna da Universidade de Birzeit, na Cisjordânia, escreveu no Twitter: «Solidariedade com #Ferguson. Lembrem-se de não tocar no rosto quando atingidos por gás lacrimogéneo ou colocar água na cara».