As autoridades venezuelanas iniciaram a retirada de 160 das 1.156 famílias que habitam ilegalmente a «Torre de David», um emblemático arranha-céus que funcionava como o maior bairro pobre vertical de Caracas, encaminhando-as para habitações sociais construídas por portugueses.

A operação, segundo o ministro de Estado para Transformação de Caracas, Ernesto Villegas, iniciou-se terça-feira, de forma «coordenada», recebendo cada família a chave de um apartamento do complexo de habitações sociais estatais de Cidade Zamora, em Cúa, 60 quilómetros a sul da capital.

Cidade Zamora é um complexo de habitações sociais construído pelo português Grupo Lena ao abrigo do programa governamental «Grande Missão Habitação Venezuela» e dos acordos de cooperação bilateral assinados entre Lisboa e Caracas.