Se as eleições presidenciais francesas estivessem para breve, apenas 3% dos franceses escolheriam Francois Hollande como candidato do PS, noticiou esta quinta-feira o jornal francês Le Figaro que publicou uma sondagem em exclusivo.

Segundo o jornal, apenas 3% dos franceses defendem que o atual presidente seja o candidato do PS para disputar as eleições de 2017. O número é semelhante ao que conseguiu antes das eleições de 2011, quando tinha ainda como opositor Dominique Strauss-Kahn.



O jornal escreve mesmo que a «humilhação para o presidente da República é severa», uma vez que é ultrapassado por Manuel Valls, atual primeiro-ministro, e por Martine Aubry, filha de Jacques Delors e autarca na cidade de Lille. O Le Figaro escreve que este é um «verdadeiro golpe de realidade» para o chefe de Estado depois das eleições Europeias, em que o PS de Hollande ficou em terceiro lugar e a Frente Nacional passou a primeiro partido de França.

Segundo a sondagem, 81% dos simpatizantes socialistas defendem a realização de primárias. Entre os socialistas, a taxa de eleição de Hollande cresce um pouco e chega aos 15%.

O jornal adianta ainda que a sondagem revela que entre os eleitores socialistas, 40% defende que Manuel Valls é o homem indicado para ocupar o lugar de Francois Hollande. Uma situação inédita que promete complicar as relações entre os dois políticos.