O Governo espanhol defende uma resolução urgente do Conselho de Segurança da ONU que, com base no acordo EUA-Rússia, «permita a completa e efetiva destruição do arsenal químico existente na Síria».

Em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros considera que o relatório de segunda-feira da missão da ONU enviada à Síria demonstra ter «ficado suficientemente comprovado o uso de gás sarin, realizado em grande escala e através de mísseis terra-terra lançados de zonas ocupadas e controladas pelo exército sírio».

«Este é um momento crucial da crise síria e o Governo de Espanha considera que o conjunto da comunidade internacional não deve poupar esforços para promover uma solução política a esta crise que tanta dor e sofrimento já causou», refere o comunicado.