O pânico instalou-se, esta sexta-feira, na região de Tiumén, na Sibéria, após o anúncio de um falso acidente químico. O relato do acidente, assim como da morte de 55 pessoas, foi apenas um exercício de simulação criado pelo Ministério das Situações de Emergências.

De acordo com a informação do site do Ministério, tratar-se-ia de uma fuga de cloro numa reserva de água, causando a morte de 55 pessoas e deixando 163 outras feridas.

A informação foi imediatamente espalhada pelos meios de comunicação russos, sem saberem que era um falso alarme.

O ministério justificou-se pouco depois dizendo que se tratava de um exercício e que a situação descrita no primeiro comunicado fazia parte do exercício.

O jornal «Komsomolskaia Pravda» adiantou ainda ter recebido «inúmeras ligações telefónicas de pessoas assustadas que acreditaram mesmo que algo horrível estava a acontecer».