A justiça russa retirou esta quinta-feira as acusações contra o último dos 30 ativistas da Greenpeace detidos em setembro após um protesto contra a exploração petrolífera e já começou a emitir vistos para que possam deixar o país.

Um porta-voz da organização ecologista indicou à EFE que, tal como os outros 29 ativistas, o italiano Cristian D'Alessandro beneficiou da amnistia geral declarada por ocasião do 20.º aniversário da Constituição russa, pelo que poderá abandonar o país quando receber o seu visto.

À AFP, um porta-voz da organização afirmou que o ativista britânico Anthony Perrett «já recebeu o seu visto» e vai deixar a Rússia nos próximos dias.