As autoridades britânicas anunciaram esta quarta-feira a detenção de 660 pessoas por suspeita de pedofilia.

Segundo o comunicado da Agência Nacional do Crime (NCA), «mais de 400 crianças» foram expostas a esta rede e estão agora à guarda das autoridades.

Entre os detidos encontram-se «médicos, professores, chefes dos escuteiros e antigos polícias». 39 deles são predadores sexuais já registados, mas a grande maioria não tinha cadastro criminal.

A investigação da NCA, em que participaram 45 forças policiais do Reino Unido, não revelou quais as técnicas utilizadas para descobrir que estas 660 pessoas acediam a imagens de pornografia infantil online.

A NCA refere ainda que as acusações devem ir desde posse destas imagens a abuso sexual.

«Algumas das pessoas que começam por ver imagens indecentes online acabam a abusar de crianças. Portanto, a operação não quer apenas apanhar os que já cometeram esse crime, mas quer que essas pessoas saibam que a internet não é um espaço anónimo seguro para ver essas imagens e que as autoridades vão apanhá-las», disse o vice-diretor da NCA, Phil Gormley.



Durante a operação, foram feitas 833 buscas domiciliárias e examinados 9172 computadores, telemóveis e discos rígidos.