O papa Francisco anunciou nesta segunda-feira que os papas João XXIII (1881-1963) e João Paulo II (1920-2005) vão ser canonizados no dia 27 de abril.

O Papa polaco, que foi beatificado em 2011 por Bento XVI, vai ser Santo no mesmo dia do Papa João XXIII.

A cerimónia deverá atrair centenas de milhares de peregrinos a Roma, já que o papa polaco e o antecessor italiano são duas das mais influentes personalidades do mundo católico atual.

A elevação a santidade exige normalmente dois milagres confirmados, embora Francisco tenha aprovado a canonização de João XXIII - com quem partilha uma perspetiva reformista - baseado em apenas um.

João XXIII ficou para a história como o papa que reviu os rituais e doutrinas da Igreja e defendeu a aproximação a outras religiões. Muitos comparam o papa italiano, que morreu em 1963, com o atual líder da Igreja Católica pelas semelhantes atitudes pastorais: humildade, simplicidade e sentido de humor.

Por sua vez, o primeiro milagre atribuído a João Paulo II, terá ocorrido seis meses após a morte, quando uma freira francesa afirmou ter sido curada da doença de Parkinson, através de orações dedicadas ao papa polaco.

Em 2005, durante o funeral de João Paulo II, a multidão gritou várias vezes «Santo Subito!» («Santo Já!»), levando o Vaticano a acelerar os procedimentos necessários à canonização, que são normalmente iniciados cinco anos após a morte.

Na terça-feira, Francisco vai dar início a três dias de conversações com um conselho de oito cardeais, que nomeou para o ajudarem a repor a ordem na Cúria, a administração da Igreja atingida por vários escândalos, e melhorar a comunicação entre o Vaticano e as igrejas locais.