O papa defendeu esta sexta-feira que a sociedade deve «dizer não a qualquer tipo de droga», incluindo as suaves e de substituição, muitas vezes legais, já que «a droga não se vence com droga».

Ao receber os participantes da conferência internacional sobre controlo e proibição de drogas (International Drug Enforcement Conference), que terminou, na quinta-feira, em Roma, o papa criticou «as legalizações, mesmo parciais, de drogas (alegadamente) ligeiras, que não produzem os efeitos esperados, sem contar que são muito discutíveis no plano legislativo».

«Quero dizer com grande clareza: a droga não se vence com droga. A droga é um mal, e com o mal não pode haver concessões ou compromissos», advertiu Francisco.