O Conselho de Segurança das Nações Unidas denunciou, na noite de segunda-feira, a perseguição levada a cabo pelos militantes do Estado Islâmico do Iraque e do Levante contra as minorias étnicas do país, incluindo os cristãos de Mosul.

Para o Conselho de Segurança, numa posição tomada unanimemente, os atos dos rebeldes podem constituir um crime contra a Humanidade.

Por isso o Conselho de Segurança condena a «perseguição sistemática» perpetradas pelos elementos do Estado Islâmico do Iraque e do Levante contra as minorias étnicas que recusam a ideologia extremista.