O presidente norte-americano considera que a «marijuana não é mais perigosa do que o álcool nem muito diferente do tabaco», revela a revista semanal «New Yorker».

«Tal como tem sido dito, fumei charros quando era jovem, e acho que é um mau hábito e um vício, que não difere muito dos cigarros que fumei enquanto era jovem e uma boa parte da minha vida adulto. Não acho que seja mais perigoso do que o álcool», afirmou Barack Obama durante a entrevista.

Contudo, o presidente dos Estados Unidos não encoraja as pessoas a fumar charros: «já disse às minhas filhas que acho muito má ideia elas experimentarem. É uma perda de tempo e é tudo menos saudável».

De acordo com Obama, o principal problema do consumo de canábis nos Estados Unidos são as penas desproporcionadas e a forma como afetam sobretudo as minorias sociais.

«Não devíamos condenar jovens apenas por consumirem marijuana quando os que estão a escrever essas mesmas leis terão provavelmente feito o mesmo», sublinha o norte-americano.

Além disso, o presidente considera que as leis estatais, como a do Estado do Colorado, que legalizou recentemente o consumo privado de marijuana, deveriam avançar, para permitir acabar com essas injustas detenções.

Mas ainda que se tornasse legal o consumo de marijuana, nem todos os problemas ficariam resolvidos, visto que as questões que giram em torno dessa decisão são muito mais complexas.

A dúvida que subsiste está agora em onde colocar o limite à permissividade com as drogas, já que outros narcóticos mais duros continuam a provocar «profundos danos e custos sociais».