O Presidente venezuelano realizou quarta-feira mudanças no seu Governo com novos responsáveis nas pastas dos Ministérios da Educação Universitária, Planeamento, Alimentação, Transportes Marítimos e Aéreos.

«Decidi fazer algumas mudanças de ministros, nesta tarefa permanente para melhorar, aumentar, refrescar áreas vitais de Governo e fazer alguns ajustes na estrutura do Executivo», disse o Presidente no programa de rádio «Em Contato com Maduro».

As mudanças acontecem quando as sondagens dão conta de uma importante queda da perceção da opinião pública sobre o ambiente socioeconómico e político do país, onde desde há quatro meses acontecem manifestações diárias devido à crise económica, inflação, escassez de produtos, insegurança, corrupção, alegada ingerência cubana e repressão.

Tribunal proíbe líder da oposição de sair da Venezuela

A ex-deputada venezuelana Maria Corina Machado está, por decisão de um tribunal de Caracas que decidiu a pedido do Ministério Público, proibida de sair do país.

A proibição tem lugar dois dias depois da antiga deputada da oposição ter prestado, como testemunha e durante oito horas, declarações sobre os acontecimentos violentos de 12 de fevereiro, em que três pessoas foram assassinadas no final de uma manifestação dos jovens em caracas e na qual foi detido o fundador do partido Vontade Popular, Leopoldo López, também da oposição.

Para Maria Corina Machado, a medida faz parte de uma «brutal perseguição que mostra que na Venezuela existe uma ditadura que quer calar todas as vozes, enterrar a verdade», mas «dá novas forças» para continuar «numa caminhada de luta para a transição democrática, no quadro da Constituição».

Dez manifestantes feridos em protestos na Venezuela

Dez manifestantes ficaram feridos quarta-feira em confrontos com a polícia venezuelana na sequência de protestos ocorridos no estado de Táchira, a sudoeste de Caracas.

Os protestos começaram de forma pacífica e foram realizados por estudantes da Universidade Católica de Táchira e da Universidade Nacional Experimental de Táchira, contra a insegurança, a escassez de produtos e a falta de medicamentos.

Os manifestantes exibiram cartazes críticos das políticas do Governo venezuelano junto à residência oficial do governador do estado, Vielma Mora, mas à chegada das forças de segurança, um grupo de encapuzados entrou em confronto com os agentes.