São mulheres e em comum têm a nacionalidade e parte das suas histórias de vida: todas foram vítimas de ataques com ácido. O indiano Rahul Saharan teve conhecimento do projeto «Stop Acid Attacks para sensibilizar a sociedade e fotografou algumas dessas mulheres.

As imagens não correspondem aos estereótipos de beleza utilizados e podem mesmo chocar a sensibilidade de algumas pessoas.

Na sua página de «Facebook», o fotógrafo descreve estas mulheres como «símbolo de beleza, coragem e positividade».

«Estas raparigas são fortes o suficiente para mostrar o quanto adoraram ser fotografadas. Posso dizer que foi fantástico e estou muito feliz por ter trabalhado com elas», escreve Saharan que dedica o trabalho «a todas as mulheres do mundo».



Rupa é uma das mulheres fotografadas. Era designer e desde que foi vítima do ataque com ácido, em 2008, a sua vida mudou totalmente. Numa entrevista ao jornal britânico Daily Mail, Rupa afirma que sempre quis ser designer mas depois do ataque houve uma pausa na sua vida.

«Estava tão insegura e envergonhada com as minhas cicatrizes que usava uma máscara para as esconder», afirma.

Hoje conseguiu superar todas as inseguranças e é uma designer com marca própria, Rupa Designs.