Milhares de mulheres turcas andam a publicar fotos a sorrir nas redes sociais. É a resposta ao vice-primeiro-ministro do país, Bulent Arinc, depois deste ter dito, durante um discurso sobre «corrupção moral» na Turquia, que as «mulheres turcas não devem sorrir em público».

Os comentários feitos por Arinc geraram polémica entre as turcas na Internet, que começaram a publicar fotos nas redes socias, justamente a fazer o que o vice-primeiro-ministro recomendou que não fizessem.





Ao todo, já são mais de 300 mil tweets com o termo «Kahkaha», palavra turca que significa «risadas», e também #hashtags relacionadas com o tema.

Revoltadas, as turcas deixam mensagens a sugerir que o governo se preocupe com outros assuntos que sejam realmente importantes. E dão como exemplos as violações, a violência doméstica ou o casamento forçado de meninas de dez anos.

A escritora Ece Temelkuran foi a primeira a publicar uma foto a sorrir e incentivou outras mulheres a fazerem o mesmo. «Foi um comentário revoltante e conservador», escreveu a escritora e analista política no seu perfil do twitter.





Vários homens turcos também criticaram o comentário do vice-primeiro-ministro. «Deus, por favor, que isso seja uma brincadeira», disse Fatih Portakal, um conhecido apresentador de televisão turco. «Se as mulheres não podem rir em público, um homem não deve chorar em público», declarou.

Apesar da forte reação contrária em redes sociais, o político recebeu algum também algum apoio, reconhecendo que se deve manter manter os «valores morais» que são «parte da cultura turca».