Extremistas islâmicos da Somália mataram uma mulher muçulmana que se recusou a usar o véu, revelaram os familiares da vítima citados pela BBC.

A mulher foi mortalmente alvejada a tiro fora da casa onde vivia, em Hosingow, no sul da Somália, por um grupo de homens armados pertencentes ao grupo Al-Shabad.

Os militares já tinham obrigado anteriormente a muçulmana a colocar o véu, mas como não obedeceu, o grupo de homens armados quando se cruzou novamente com a mulher sem véu matou-a.



Um porta-voz da Al-Shabad negou o crime.

Os familiares, com medo de represálias, não revelaram a identidade, mas disseram à BBC que a mulher foi morta durante a manhã.

Al-Shabab, que controla grande parte do sul e centro da Somália, impõe regras rígidas de comportamento, incluindo códigos de vestimenta para homens e mulheres.