Um monge tibetano morreu depois de se ter autoimolado pelo fogo no sábado, no sudoeste da China, segundo notícias divulgadas hoje, naquele que é o primeiro protesto do género em mais de um mês.

Kunchok Sonam, de 18 anos, levou a cabo uma ação de protesto, no sábado, fora de um mosteiro no município de Aba, parte da província de Sichuan, informou a Radio Free Asia, citando residentes locais.

Segundo uma testemunha, Kunchok Sonam gritou slogans a favor da liberdade do Tibete.