Homens armados atacaram veículos que seguiam protegidos pela escolta militar na principal estrada de Moçambique, causando três feridos ligeiros, confirmou à Lusa fonte hospitalar.

Pedro Vidamão, diretor do Hospital Rural de Muxúnguè, na província de Sofala, no centro de Moçambique, confirmou a entrada naquele estabelecimento de «três feridos por projéteis».

Vidamão disse à Lusa que os feridos «estão em tratamento» naquele hospital.

O ataque ocorreu por volta das 07:30 (05:30, em Lisboa) e visou um camião que ia integrado na coluna militar que tinha partido de Muxúnguè, em direção ao rio Save, cerca de 200 quilómetros a sul.

«Tínhamos acabado de sair de Muxúnguè há cinco minutos quando fomos atacados a tiro», disse à Lusa Herculano João, motorista do camião atingido.

O motorista adiantou que no seu camião ficaram feridas duas pessoas, em resultado deste ataque, ocorrido na véspera das eleições municipais que a Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), principal partido da oposição, ameaça boicotar.