Orlando Viegas, ministro de Estado do Governo de transição da Guiné-Bissau espancado na noite de terça-feira, vai ser esta quinta-feira transferido de Bissau para Dacar, capital do Senegal, para receber tratamento médico, disse à agência Lusa fonte governamental.

Apesar de o estado de saúde do governante registar uma «evolução global positiva», os ferimentos na cabeça e num dos olhos inspiram cuidados.

De acordo com a mesma fonte, há receios de que Orlando Viegas sofra de hemorragias oculares internas que careçam de um diagnóstico e eventual tratamento especializado.

O primeiro-ministro de transição da Guiné-Bissau, Rui Duarte Barros, escusou-se, em declarações à agência Lusa em Macau, a condenar o espancamento de um membro do seu Governo, alegando estar ainda a recolher informações sobre o sucedido.

Questionado pela Lusa sobre se, em nome do Governo de transição da Guiné-Bissau, condenava o incidente, Rui Duarte Barros respondeu: «Estou a recolher ainda informações, não tenho ainda informações completas».