O meteorito que caiu em fevereiro nos Montes Urais, na Rússia, causando mais de 1.200 feridos, tinha 19 metros de diâmetro e energia equivalente a várias bombas atómicas, segundo um estudo hoje divulgado.

De acordo com a revista Nature, cientistas da República Checa e do Canadá analisaram imagens, sons e fragmentos do meteorito, que caiu a 15 de fevereiro passado na cidade russa de Chelyabinsk, e calcularam que, na entrada na atmosfera, o asteróide pesava 12 toneladas.

O meteorito, que se fragmentou a 45 quilómetros de distância da Terra, teria ainda uma massa com energia equivalente a 500 toneladas de TNT, ou seja entre 27 a 41 vezes mais o explosivo contido na bomba atómica de Hiroshima, detonada em 1945.

O impacto e a onda de choque dos fragmentos de meteorito causaram mais de 1.200 feridos e danos em edifícios em cinco regiões da Rússia.