Os documentos de acusação sobre o atentado à maratona de Boston vieram comprovar que Dzhokhar Tsarnaev, o alegado autor dos atentados, construiu a bomba a partir de luzes de natal, pó de fogo-de-artifício e detonadores feitos de peças de um carro.

Os advogados de Tsarnaev vieram pedir para arquivarem estes documentos, com facto inicialmente transmitidos numa reportagem feita pela NBC News, que defendem que os dois irmãos se inspiraram numa reportagem da revista digital «Inspire» sobre o fabrico de bombas pela Al-Qaeda para realizarem todo o processo de fabrico dos explosivos que mataram quatro pessoas e feriram mais de 264 pessoas.

Um dos irmãos, Tamerlan Tsarnaev, morreu a caminho do hospital após o atentado e o outro, Dzhokar Tsarnaev, é acusado da morte de uma criança e três pessoas.

«As bombas da maratona foram construídas com fusíveis de luzes de natal, e os detonadores de controlo remoto foram feitos a partir de peças de carro. Estes dispositivos sofisticados não teriam sido construídos com sucesso se Tsarnaev não tivesse treinado ou tivesse a ajuda de outras pessoas», revela a acusação.

O Ministério Público entrou na quarta-feira com um requerimento para rejeitar o pedido de Dzhokhar em suprimir as declarações feitas depois da captura no ano passado. Durante o interrogatório, Tsarnaev admitiu estar envolvido no atentado à maratona em Boston.