O Líbano anunciou hoje a formação de um governo de «unidade nacional», depois de dez meses de divisões entre os diferentes partidos, exacerbadas pelo conflito na vizinha Síria.

O novo executivo, de 24 elementos, integra a ala política do poderoso movimento xiita Hezbollah e os seus aliados, assim como o partido sunita do ex-primeiro-ministro Saad Hariri, o que ocorre pela primeira vez em três anos.

«Depois de dez meses de esforços e de paciência, nasceu um governo que protege o interesse nacional», disse Tamam Salam, o primeiro-ministro, citado por agências internacionais.