O Governo da República Democrática do Congo anunciou esta terça-feira uma «vitória total» sobre a rebelião do grupo M23, após um ano e meio de combates contra o exército da República Democrática do Congo e as forças da ONU.

«Os últimos rebeldes do M23 abandonaram as trincheiras em Chanzu e Runyonyi devido à pressão militar», disse o ministro da Comunicação e porta-voz do Governo congolês numa mensagem de telemóvel enviada a um jornalista da agência AFP.

Questionado pela agência, o general Lucien Bahuma, comandante do exército na região Kivu norte, onde a rebelião começou em abril de 2012 foi mais cauteloso e escusou-se a confirmar, por agora, a vitória sobre os rebeldes, posição idêntica à tomada por outro militar contactado pela AFP.

O presidente do grupo M23, Bertrand Bisimwa, anunciou também ele em comunicado que o M23 «decidiu a partir de hoje pôr fim à sua rebelião e prosseguir, por meios puramente políticos, a busca por soluções para as causas profundas que presidiram à sua criação».