O fundador e presidente da Amazon, Jeffrey Bezos, comprou o jornal Washington Post por 250 milhões de dólares (189 milhões de euros), noticiou a publicação no seu sítio na internet.

O acordo, que surpreendeu o mercado, ocorre depois do New York Times ter vendido o Boston Globe e é mais uma indicação dos desafios sem precedentes que os jornais têm enfrentado para contrariar o declínio de suas receitas.

O presidente do Conselho de Administração e presidente-executivo do Washington Post, Donald E. Graham, cuja família é proprietária do jornal, afirmou que seria melhor para a publicação ter outro dono.

«Eu, assim como Katharine Weymouth e nossos outros diretores, decidimos vender o jornal depois de anos de desafios nos terem feito refletir sobre a possibilidade de um outro dono ser melhor para a publicação», disse Graham.

«A genialidade comprovada de Jeff Bezos no campo da tecnologia e dos negócios, a abordagem de longo prazo e a decência pessoal fazem dele um novo dono singular para o Post», afirmou.

Na carta publicada no site do Washington Post, Bezos prometeu que não haverá mudanças radicais. A Amazon.com será mantida à parte do acordo com o Post, segundo o jornal.

Além do The Washington Post, a operação envolve outras publicações, incluindo o jornal Express e os negócios The Gazette Newspapers, Southern Maryland Newspapers, Fairfax County Times, El Tiempo Latino e Greater Washington Publishing.