As sondagens à boca das urnas em França dão conta de uma vitória para a Frente Nacional com 25% dos votos. A líder do partido já reagiu e pediu a dissolução do Parlamento e a convocação de eleições antecipadas. Os socialistas de François Hollande alcançaram o terceiro lugar nas Eleições Europeias para o Parlamento Europeu, atrás do UMP, o partido de centro direita.

Europeias: resultados em França

O UMP tem uma projeção de 21% e o Partido Socialista, no poder, deverá conseguir 14% dos votos, abaixo dos 16,5% conseguidos em 2009.

Caso se confirmem as três projeções em França, esta será a primeira vez que um partido anti-imigração e anti-UE ganha a uma eleição nacional. A FN, liderada por Marine Le Pen, beneficiou da impopularidade recorde do poder socialista e da divisão da direita, bem como do crescente euroceticismo entre os franceses.

Eleições Europeias AO MINUTO

«Os resultados representam o colapso do Partido Socialista e do UMP», disse o fundador da Frente Nacional, Jean-Marie Le Pen, que em 2011, entregou a liderança do partido à filha. «Nós pensamos que o Governo deve dissolver o Parlamento», disse à televisão francesa.

Marine Le Pen reagiu pouco depois numa curta declaração ao país, onde pediu a dissolução do Parlamento francês. «O Presidente deve agora tomar as providências necessárias para que a Assembleia se torne representante do povo e capaz de conduzir a política de independência que o povo escolheu esta noite», disse aos jornalistas.

A presidente da Frente Nacional agradeceu a «todos os franceses» e defendeu que tinham «razão para confiar». Marine Le Penn disse ainda que «os franceses deram à Frente Nacional a tremenda responsabilidade de aplicar a escolha que fizeram esta noite».

«Que mais pode o Presidente fazer depois desta rejeição?», respondeu Le Pen quando questionada pelo jornalistas sobre a dissolução do Parlamento.

«É inaceitável que a Assembleia não seja representativa do povo francês», disse, instando Hollande a «organizar eleições». As próximas legislativas estão previstas para 2017.







A abstenção terá ficado pelos 57%, abaixo do que algumas das principais projeções apontavam. Os principais media franceses apontam já o resultado da Frente Nacional como «uma larga vitória» do partido de Marine Le Pen.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Laurent Fabius, duvidou que uma dissolução pudesse ocorrer, dado que isso significaria muito provavelmente que os socialistas perderiam o poder, mas admitiu que o resultado da Frente Nacional era «um terremoto político».

Ségolène Royal, histórica socialista e ministra da Energia, disse numa primeira reação que é urgente que o partido de François Hollande dê um avanço na política de recuperação do Euro. «Os resultados mostram a impaciência das pessoas por resultados», disse.

Do lado dos conservadores, Rama Yade, um ex-ministro do governo de Nicolas Sarkozy, defendeu que a confirmar-se a vitória de da Frente Nacional será uma «tragédia para a democracia».