A França anunciou esta sexta-feira que iria reforçar, a pedido das autoridades norte-americanas, as medidas de segurança aeroportuárias para os voos com destino aos Estados Unidos, o que poderá causar atrasos.

Nova ameaça leva ao aumento da segurança nos aeroportos

«Estas medidas complementares serão implementadas de forma a causarem o mínimo de transtorno aos passageiros. No entanto, são possíveis atrasos», informa a Direção Geral da Aviação Civil (DGAC) em comunicado.

«Por razões de confidencialidade, não podemos revelar as medidas complementares», disse à AFP o porta-voz da DGAC.

O jornal El País avança esta sexta-feira que em causa deverão estar quinze aeroportos europeus e no médio oriente, no entanto, as informações sobre as medidas de segurança em concreto e os nomes de todos os aeroportos afetados não são ainda conhecidos.

Sabe-se para já que o Reino Unido é um dos países que já anunciou a aplicação de novas medidas de segurança, no entanto, os países com voos diretos para os EUA devem aplicar as restrições, segundo informaram as autoridades norte-americanas.

As autoridades receiam que os terrotistas estejam a planear a utilização de explosivos que não são detetaveis pela segurança dos aeroportos. A imprensa norte-americana recorda mesmo uma notícia de abril de 2012 da cadeia de notícias ABC News, que dava conta da possibilidade dos terroristas usarem os explosivos implantados no corpo.