O líder cubano Fidel Castro considerou que a Nicarágua se converteu num «baluarte já irreversível da luta anti-imperialista» numa mensagem enviada ao Presidente do país no 35.º aniversário do triunfo da revolução popular sandinista.

«Felicito a vitória sandinista de 19 de julho [de 1979] com o mesmo entusiasmo, como se fosse o 26 de julho de 1953 ou o 1.º de janeiro de 1959», escreveu Castro numa mensagem enviada ao presidente Daniel Ortega citada pela agência EFE.

O ex-presidente cubano assinalou que Ortega e a sua esposa, Rosario Murillo, «vão ocupar um lugar de honra na história dos povos deste continente [América], que algum dia poderá contar também com o povo trabalhador e inteligente dos Estados Unidos», recordando ainda, na mesma mensagem, o falecido presidente venezuelano Hugo Chávez como o «campeão da luta pelo socialismo e pela revolução anti-imperialista na América Latina».