Duas ativistas do movimento Femen apareceram esta quarta-feira a protestar em frente da sede do Conselho Europeu, em Bruxelas, onde se vão reunir os líderes do G7.

O encontro entre os líderes do G7 irá discutir a situação na Ucrânia e as relações com a Rússia, assim como assuntos internacionais de interesse geral, incluindo economia, energia, mudanças climáticas e desenvolvimento.

Como já é habitual, as ativistas apareceram nuas, com perucas coloridas e com mensagens escritas no corpo: «G7 hoje, amanhã G8». Desta vez, seguravam na mão vibradores com recados para Putin e para o G7.

O grupo disse na sua página de Facebook, que com este protesto quer denunciar «a hipocrisia dos líderes mundiais na luta contra a tirania de Putin», e acrescentou ainda «Se hoje eles estão reunidos como G7 boicotando Putin, no dia seguinte eles vão juntar-se novamente com ele na França».





O Femen é um grupo ucraniano feminista de protesto, fundado em 2008 por Anna Hutsol, com base na cidade de Kiev. A organização tornou-se notória por protestar em topless contra temas como o turismo sexual, racismo, homofobia o sexismo e outros problemas sociais.

As duas ativistas foram levadas pela polícia belga.