Barack Obama, presidente dos EUA e Zhang Gaoli, vice-presidente da China, concordaram que são os dois maiores emissores de CO2 do mundo e, por isso, «têm a responsabilidade de liderar».

Esta afirmação foi feita durante a cimeira da ONU sobre o clima, realizada na passada terça-feira, em Nova Iorque. Ban Ki-moon, secretário-geral da ONU, liderou o encontro e convidou os líderes mundiais a juntarem-se para acelerar as difíceis negociações do tratado que deve ser assinado em Dezembro de 2015, em Paris.

Barack Obama, presidente dos EUA, defendeu na cimeira que um novo acordo global sobre as alterações climáticas deve incluir compromissos fortes das economias emergentes, por causa da quantidade de gases de efeito estufa que emitem aumenta à medida que as suas economias crescem. Obama lembrou ainda que «ao longo dos últimos oito anos» os EUA «reduziu a sua emissão de carbono, mais do que qualquer outra nação na Terra».

Em 2007, a China ultrapassou os Estados Unidos como o maior emissor de gases de efeito estufa do mundo e, por isso mesmo, depois do presidente norte-americano, foi a vez de Zhang Gaoli, o vice-presidente da China afirmar que o seu país tem como objetivo limitar as suas emissões de CO2.

O governante disse ainda que o país duplicaria o apoio financeiro anual para o «Fundo Verde para o Clima», um fundo criado especificamente para os países em desenvolvimento, para os ajudar a tornarem-se mais resistentes às mudanças climáticas.

Mas outros líderes mundiais presentes na cimeira, anunciaram compromissos financeiros para ajudar a suavizar o caminho para o acordo de 2015. Tanto o presidente francês, como o presidente da Coreia do Sul e o presidente do México, garantiram que iam injetar dinheiro no «Fundo Verde para o Clima».

No entanto, não foram apenas os chefes de Estado e de governo que tiveram a palavra nesta cimeira. Leonardo DiCaprio, recém-nomeado Mensageiro da Paz das Nações Unidas, dirigiu-se aos líderes mundiais chamando-os à atenção para as questões climáticas, «o maior desafio da nossa existência no planeta».

DiCaprio comparou o seu papel como ator, que interpreta personagens fictícias que resolvem problemas fictícios, com o problema das mudanças climáticas. O ator acredita que as pessoas fingiram que a mudança climática não era real e que de alguma forma desapareceria mas que, agora, já podiam ter uma noção melhor do que se passa.

Também a viúva de Nelson Mandela se dirigiu aos líderes mundiais, acusando-os de não terem conseguido enfrentar o desafio das mudanças climáticas. «Há uma enorme discrepância entre a magnitude do desafio e a resposta que ouvimos aqui hoje», disse Graça Machel nos momentos finais do encontro.

Foi a segunda vez, em cinco anos, que os líderes mundiais se reuniram para tratarem as questões ligadas com o clima. Além de algumas promessas de ajuda financeira aos países mais pobres, não se conseguiu chegar a outras grandes conclusões.