O primeiro-ministro do Egito, Hazem al-Beblawi, disse esta quinta-feira, que não exclui a participação de alguns membros da Irmandade Muçulmana no Governo de transição que está em vias de formar.

«Não me preocupo com a filiação política, se alguém é proposto pelo Partido da Liberdade e da Justiça [braço político da Irmandade] e se essa pessoa for qualificada para o cargo», a sua nomeação será considerada, disse Beblawi em declarações à agência AFP.