Os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas vão reunir-se de emergência ainda esta quinta-feira para discutir a situação no Egito, confirmaram fontes diplomáticas citadas pelas agência noticiosa francesa AFP.

As mesmas fontes adiantaram que a reunião do Conselho de Segurança vai decorrer à porta fechada e está marcada para às 05:30 locais (22:30 em Lisboa).

A confirmação do encontro surge depois de a França, Reino Unido e a Austrália, em conjunto, terem solicitado, hoje, uma reunião de emergência para discutir a crise no Egito, onde a onda de violência de quarta-feira causou pelo menos 525 mortos, segundo informou o Ministério da Saúde do país.

Os três países fazem parte do Conselho de Segurança das Nações Unidas, atualmente presidido pela Argentina.

Durante a reunião, a realizar na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, os embaixadores dos 15 Estados com representação neste órgão da ONU serão informados doa situação pelo vice-secretário-geral da organização, Jan Eliasson, na ausência do secretário-geral, Ban Ki-moon, que se encontra no Médio Oriente.

As fontes diplomáticas não creem que venha a ser feita uma declaração formal no termo da reunião.

Numa primeira reação aos acontecimentos de quarta-feira, Ban Ki-moon condenara a onda de violência.

A alta-comissária dos Direitos Humanos das Nações Unidas, Navi Pillay, reclamou uma investigação à ação das forças de segurança egípcias.

A Turquia tinha reclamado igualmente uma reunião do Conselho de Segurança.