Um diplomata japonês foi detido pela polícia de Tóquio por ter ateado fogo na embaixada do seu país na República Democrática do Congo.

De acordo com as investigações, Shinya Yamada, terceiro secretário da embaixada, terá incendiado o edifício para esconder o desaparecimento de 190 mil euros do orçamento da missão diplomática.

O homem de 30 anos terá utilizado o dinheiro para alimentar o vício do jogo. Para eliminar todas as provas que o poderiam eventualmente incriminar, o japonês decidiu então atear fogo à embaixada, revelou a imprensa japonesa.

O caso ocorreu no dia 22 de junho na cidade de Kinshasa, na República Democrática do Congo. Mas só no início do mês de dezembro é que Shinya Yamada foi constituído arguido.

O diplomata confessou finalmente ter incendiado a embaixada e aguarda pelo julgamento.