O cortejo fúnebre do antigo presidente sul-africano Nelson Mandela vai percorrer as ruas da capital Pretória durante três dias consecutivos, anunciou hoje o governo sul-africano, encorajando a população a acompanhar o percurso.

Cavaco Silva irá representar Portugal nas cerimónias.

«Cada manhã, quando os restos mortais deixarem a casa mortuária para serem expostos ao público, as ruas serão abertas», disse a porta-voz do governo, Neo Momodu.

«Encorajamos [as pessoas] a colocarem-se ao longo do percurso quando o corpo passar pelas ruas de Pretória» até à sede do governo, indicou Neo Momodu, diretora do Gabinete de Comunicação e Informação governamental.

As Forças Armadas Sul-Africanas estão a mobilizar parte do seu efetivo para participar nos preparativos do funeral do antigo presidente.

Os militares e civis, «cujas unidades têm missões de apoio logístico» devem interromper as férias e cancelar todos as saídas para se apresentarem nas respetivas unidades, bases ou casernas até à meia-noite», refere um comunicado das Forças Armadas Nacionais Sul-Africanas (SANDF, na sigla em inglês).

Os ex-presidentes dos Estados Unidos Bill Clinton e George W. Bush e a ex-secretária de Estado Hillary Clinton anunciaram, esta sexta-feira, que vão para assistir ao funeral. Bush (2001-2008) e a sua mulher Laura aceitaram o convite do Presidente norte-americano, Barack Obama, e da sua mulher Michelle, para viajarem com eles no avião presidencial Air Force One para assistir às cerimónias fúnebres do antigo chefe de Estado sul-africano, indicou o porta-voz do ex-presidente, Freddy Ford, em comunicado.

A Casa Branca confirmou, esta sexta-feira, que Obama e a sua mulher viajam para África do Sul para «apresentar as suas condolências em memória» de Mandela e participar nas cerimónias em tributo ao Nobel da Paz. Barack Obama, telefonou, esta sexta-feira, à viúva do antigo chefe de Estado sul-africano Nelson Mandela, para expressar as suas condolências e agradecer-lhe a «alegria» que ela deu à vida do Nobel da Paz.

O funeral de Estado do antigo presidente sul-africano, Nelson Mandela, realiza-se no dia 15 de dezembro, anunciou esta sexta-feira o atual chefe de Estado, Jacob Zuma.

As cerimónias fúnebres vão durar uma semana e incluem um serviço no estádio de futebol que foi palco do Mundial de 2010, em Joanesburgo, no dia 10, refere a Reuters.

Em conferência de imprensa, Zuma afirmou que se realizará no dia 10 uma cerimónia nacional para lembrar Mandela no estádio do Soweto, perto de Joanesburgo.

No dia 15, Nelson Mandela será enterrado na aldeia de Qunu, no sul do país, onde cresceu o histórico líder sul-africano.

O corpo do ex-presidente estará exposto na sede da Presidência em Pretória, o complexo Union Buildings, entre 11 e 13 de dezembro.

Uma semana de luto nacional começará a 8 de dezembro com um dia de oração e reflexão.

«Vamos todos trabalhar juntos para organizar cerimónias fúnebres dignas deste filho excecional do nosso país e pai da nossa jovem nação», acrescentou Zuma, conforme cita a Lusa.

A morte de Nelson Mandela, aos 95 anos, foi anunciada na quinta-feira à noite pelo Presidente da República da África do Sul, Jacob Zuma, motivando de imediato uma série de reações de pesar de diversas personalidades e instituições de vários setores de todo o mundo.

«A nossa nação perdeu o maior dos seus filhos», disse o Presidente sul-africano, anunciando que a bandeira sul-africana vai estar a meia-haste a partir desta sexta-feira e até ao funeral, que será de Estado, a 15 de dezembro.