Um cirurgião inglês implantou com sucesso uma pélvis feita a parir de uma impressora 3D. A cirurgia ocorreu há três anos e foi efetuada num doente com cancro, no entanto, só agora os resultados foram divulgados.

Esta foi a primeira vez que um transplante deste género foi realizado, segundo a empresa informou em comunicado.

O paciente, cujo nome continua desconhecido, sofria de um tipo pouco comum de cancro chamado. A doença afetou-lhe todo o lado direito da pélvis. Neste caso, o tumor não mostrou sintomas e só numa fase avançada é que se tornou percetível. Geralmente este tumor é resistente à radioterapia e requer um tratamento de remoção dos ossos afetados. De acordo com o ortopedista responsável pela cirurgia, Craig Gerrand, era impossível recorrer a implantes normais porque grande parte do osso tinha de ser removido.

A impressão em três dimensões veio revolucionar o sector da saúde. Esta tecnologia já conta com alguns casos de sucesso como próteses de membros, aparelhos auditivos, agora a pélvis e potencialmente tecido humano.

Para o procedimento, os médicos fizeram radiografias que permitiram retirar as exatas medidas da pélvis do doente para que fosse «impresso» a dimensão correta de osso.

Num primeiro passo, a companhia usou as radiografias para criar uma substituição em titânio, já em 3D, e fundem as diversas camadas. Depois revestem o resultado com um mineral que irá permitir que as células do osso restante anexem com o «novo».

Depois de a prótese ser colocada, a equipa adicionou uma anca padrão para completar a cirurgia. O procedimento aconteceu há três anos e revelou-se um sucesso, Aapesar de o homem andar com auxílio de uma bengala.