A Bolívia lamentou, esta quinta-feira, o incidente ocorrido em 2011 com o avião que transportava o ministro da Defesa brasileiro, Celso Amorim, inspecionado sem autorização numa viagem a La Paz por agentes antinarcóticos, e anunciou medidas «drásticas» para evitar novos «excessos».

«O Governo boliviano lamenta os incidentes ocorridos no segundo semestre de 2011 em ações do pessoal operativo da Força Especial de Luta contra o Narcotráfico (FELCN) da Bolívia em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB)», indica um comunicado lido à imprensa pelo ministro da Defesa, Rubén Saavedra.

A nota acrescenta que «uma vez que o Ministério dos Negócios Estrangeiros conheceu estes factos, levou a cabo reuniões conjuntas com a Embaixada do Brasil» para «coordenar ações que permitiram felizmente superar estes incidentes», e que não foram reportados «episódios similares» desde então.