Um primo do Presidente afegão Hamid Karzai foi morto nesta terça-feira na sua residência, perto de Kandahar, no Afeganistão, por um bombista-suicida que tinha escondido explosivos no turbante.

«Um bombista suicida que se fez passar por convidado veio à residência de Hashmat Karzai para o saudar por ocasião do Eid, que assinala o fim do Ramadão. Depois de o ter abraçado fez explodir os explosivos e matou Hashmat Karzai», revelou à AFP o porta-voz do governador da província, Dawa Khan Minapal.

Além de primo do presidente em fim de mandato, Hashmat Karzai era o gestor da campanha na capital de Ashraf Ghani, um dos dois candidatos presidenciais envolvidos numa disputa sobre fraudes eleitorais que ameaça agravar a instabilidade no país.

Ashraf Ghani e o líder da oposição Abdullah Abdullah estão em desacordo sobre a segunda ronda das eleições de 14 de junho, que foi marcada por denúncias de fraude.

Ghani ganhou as eleições, de acordo com os resultados provisórios, mas uma auditoria aos votos está em curso depois de Abdullah se ter recusado a aceitar a derrota devido a alegações de fraude.

Com a auditoria a provocar outro surto de queixas de ambos os lados, muitos temem que o país poderá estar em risco de um ressurgimento da violência étnica vista durante a guerra civil de 1992-1996.