O homem desfigurado por uma doença rara que foi abraçado pelo Papa Francisco, decidiu contar a sua comovente história ao jornal «Daily Mail».

Vinicio Riva sofre de neurofibromatose, doença que além de desfigurar pode provocar dores muito fortes, surdez, problemas mentais, paralisia e mesmo cancro. Trata-se de um problema genético que não é contagioso, mas que obriga, muitas vezes, os doentes ao ostracismo, por causa da aparência física que lhes dá.

«Beijei-lhe a mão, enquanto ele me acariciava a cabeça. Depois abraçou-me e beijou-me. Senti muito amor», recorda Vinicio.

O que mais impressionou o doente foi o facto de o Papa não ter hesitado em acariciá-lo e abraçá-lo. «Eu não sou contagioso, mas ele não o sabia», adiantou Vinicio.

Vinicio Riva vive em Vicenza, no Norte de Itália, com a irmã, que também sofre da doença, mas num grau mais leve, e conta com a ajuda de uma tia.

O encontro entre o Papa Francisco e Vinicio ocorreu no dia 6 de novembro, no final do habitual percurso que o Papa faz entre os peregrinos, na Praça de São Pedro, após a audiência semanal.

O Papa confortou o homem e abraçou-o, numa cena que muitos já dizem fazer lembrar a cura dos leprosos por parte de Jesus.