As autoridades venezuelanas estão a tentar reparar uma falha no fornecimento de energia elétrica que, na noite da segunda-feira, deixou metade da Venezuela às escuras.

O «apagão», ocorrido cerca das 20:10 locais de segunda-feira (00:40 em Lisboa), interrompeu, inclusive, uma alocução ao país por parte do presidente Nicolás Maduro.

Segundo o ministro de Energia Elétrica, Jesse Chacón, o problema, detetado na subestação de La Arenosa (300 quilómetros a oeste de Caracas), afetou a região central e ocidental do país.

«Estamos a trabalhar para poder recuperar o sistema com a maior brevidade possível», disse o ministro ao canal estatal Venezuelana de Televisão, sublinhando que o fornecimento de energia elétrica na capital foi restabelecido em 80%, 50 minutos depois do corte.

A partir do palácio presidencial de Miraflores, o Presidente da Venezuela assegurou estar a acompanhar a situação, indicando que a falha ocorreu no mesmo lugar do anterior grande apagão, registado em setembro.

«Estou em Miraflores, em equipa, a acompanhar o estranho apagão que ocorreu no mesmo lugar da última sabotagem. Peço ao povo para estar alerta», escreveu o chefe de Estado venezuelano, na sua conta no Twitter.