Cientistas do Instituto de Oncologia Vall d`Hebron (VHIO) decifraram pela primeira vez as alterações nos genes de um dos cancros hereditários mais graves que existem, a síndrome de Li-Fraumeni, informou o instituto num comunicado.

Embora pouco frequente, a síndrome de Li-Fraumeni é um cancro hereditário cujos doentes têm um risco elevado de desenvolver múltiplos tumores, inclusivamente em idades muito jovens.

O estudo, publicado na revista «Cancer Discovery», conseguiu identificar pela primeira vez «um fator comum entre todos os tumores desenvolvidos num doente com uma síndrome hereditária de Li-Fraumeni», disse a autora principal da investigação, Violeta Serra, citada pela agência noticiosa espanhola EFE.