Notícia atualizada às 13:44

As autoridades aéreas argelinas perderam contacto com um avião MD83 pertencente à companhia espanhola privada SwiftAir e operado pela Air Algerie.

O aparelho voava de Ouagadougou, no Burkina Faso, para Argel, a capital da Argélia. Terá desaparecido dos radares cerca de 50 minutos depois da descolagem.

O voo em causa é o AH-5017 e transportava com 110 passageiros e seis tripulantes, de acordo com a companhia aérea espanhola Swiftair, proprietária do avião. Inicialmente, as autoridades argelinas disseram tratar-se de um Airbus A320.





O avião voava de Ouagadougou, no Burkina Faso, para Argel, a capital da Argélia (assinalados a vermelho) e terá perdido contato em Gao, no Mali (assinalado a azul)


De acordo com a Swiftair, o aparelho levantou voo às 01:17 e deveria ter aterrado em Argel às 05:10, ou seja há quase seis horas.

«Nesta altura, as equipas de emergência e pessoal da companhia estão a trabalhar para averiguar o que aconteceu e, à medida que forem sendo conhecidos mais detalhes, serão emitidos novos comunicados», escreveu a SwiftAir em comunicado.

Um gabinete de crise, para atender familiares das vítimas, foi instalado no aeroporto de Ouagadougou, adianta o «Huffington Post».

Mudança de rota

A AFP cita uma fonte da Air Algerie para dizer que o contacto com o avião foi perdido enquanto o aparelho ainda sobrevoava território do Mali, mas já muito perto da fronteira com a Argélia. Deixou de ser avistado pelos radares depois de pedir autorização para mudar de rota. «O avião não estava longe da fronteira com a Argélia quando a tripulação pediu para mudar de rota por causa da fraca visibilidade e do risco de colisão com outra aeronave», disse a referida fonte.

A informação é corroborada pelas autoridades argelinas.

Cinco possíveis teorias

De acordo com o jornal espanhol «El Mundo», pelo tempo de voo e pela rota inicial traçada, o aparelho estaria a sobrevoar o deserto de Sahel, onde as temperaturas podem atingir nesta altura os 45 graus.

Dois caças franceses baseados na região foram, entretanto, acionados para sobrevoar a zona e participar nas buscas.«Vão procurar desde o ponto do último contacto através da provável rota», diz um porta-voz do exército francês.

Vários órgãos de informação africanos estão a avançar que o avião se despenhou no Níger, pouco depois de deixar o espaço aéreo da capital Niamey. Seria uma considerável alteração de rota, mas não é uma hipótese colocada fora de questão. O «afrik.com» diz mesmo que soldados franceses e da missão da ONU no Mali foram deslocados para a região para participar nas buscas.

«Muitos franceses» a bordo

O jornal argelino «El-Nahar» garante que há cidadãos argelinos entre os passageiros e o ministro dos Transportes francês diz que é «muito provável» que também houvesse franceses a bordo.

«Havia, quase de certeza franceses a bordo. E se havia franceses a bordo, eram, com certeza, muitos», disse Frederic Cuvillier aos jornalistas.

A imprensa internacional, citando a lista de passageiros do voo AH-5017, garante que pelo menos 50 franceses estavam a bordo.

Possíveis causas

As causas do desaparecimento começam a ser adiantadas. A hipótese mais provável estará relacionada com uma tempestade que assolava a região. Houve ainda quem recordasse que o aparelho estaria a sobrevoar uma zona de conflito no norte do Mali, mas uma fonte oficial francesa, citada pela Associated Press, duvida que os gerrilheiros do Mali tenham armamento capaz de atingir um avião a grandes altitudes.

Em fevereiro deste ano, um avião militar argelino despenhou-se, numa zona montanhosa da província de Oum al-Bouaghi. Morreram 77 pessoas e apenas uma sobreviveu. O mau tempo terá estado na origem deste acidente.