François Hollande fará quinta-feira uma recepção para marcar o 70.º aniversário do dia D, o desembarque na Normandia, e que, diga-se, será bastante atarefada. O presidente francês vai receber 18 convidados, entre eles o presidente americano, Barack Obama e o presidente russo, Vladimir Putin.

Para evitar que os dois dois líderes políticos estejam juntos, o presidente francês decidiu jantar duas vezes no mesmo dia. Primeiro com Barack Obama e duas horas mais tarde com Vladimir Putin. Putin e Obama andam publicamente às avessas desde que começou a crise da Ucrânia, uma vez que o clima de tensão entre os dois presidentes cresceu com a anexação da Crimeia à Rússia e nenhum quer conversar.

Desde a anexação e às consequentes sanções impostas pelos EUA e pela Europa à Rússia, é a primeira vez que um líder europeu se encontra individualmente com Putin.

Um diplomata francês afirmou, na segunda-feira, que Hollande pretende ter um papel apaziguador e ajudar na paz entre os dois presidentes, mas continua empenhado na pressão ao Kremlin para travar o clima de violência vivido na Ucrânia.

Neste jantar Putin irá cruzar-se com outros membros que defendem a paz na Ucrânia. É o caso do primeiro-ministro inglês, David Cameron e do recém-eleito presidente ucraniano, Petro Poroshenko.

O jantar festeja e relembra os 70 anos da invasão nas praias da Normandia, que ajudou a virar a II Guerra Mundial contra Hitler.