Cerca de 30.000 curdos que moram na Alemanha manifestam-se hoje na cidade de Colónia contra o presidente turco Erdogan, que ordenou uma ofensiva do exército contra as milícias curdas na Síria, exigindo a libertação do líder independista curdo Abdullah Öcalan.

O número de manifestantes é avançado pela agência alemã de notícias (DPA) e é condizente com as previsões dos organizadores. Contactada pela agência de notícias francesa (AFP), fonte da polícia de Colónia escusou-se a confirmar o número de participantes nesta ação de protesto.

A manifestação teve início pela manhã e está a decorrer sem incidentes, segundo a polícia local, ainda que mais de mil polícias tenham sido mobilizados para a acompanhar, nomeadamente, pelos receios de ocorrerem confrontos com os nacionalistas turcos que residem na Alemanha.