O primeiro-ministro turco anunciou, esta quarta-feira à tarde, que a polícia deteve mais quatro pessoas suspeitas de terem ligação com o atentado de terça-feira no bairro turístico de Sultanahmet, em Istambul. Ahmet Davutoglu também disse que seis feridos na explosão continuam no hospital.  
 
"Efetuamos hoje outras quatro novas detenções", disse o governante à imprensa em Istambul, à saída de uma reunião com as autoridades.
 
De acordo com a Reuters, Ahmet Davutoglu acrescentou que o bombista suicida que promoveu o ataque entrou na Turquia como migrante. Na terça, o primeiro-ministro tinha adiantado que o autor do atentado suicida é um jihadista do grupo Estado Islâmico. 

Um primeiro suspeito já tinha sido detido na terça-feira por envolvimento com o caso. Dez pessoas, a maioria turistas alemães, morreram no ataque e pelo menos 15 ficaram feridas. A explosão aconteceu perto da basílica de Santa Sofia e da Mesquita Azul.
 
"Uma pessoa foi detida na noite de terça-feira. A investigação segue o seu curso meticulosamente e com muita atenção", afirmou o ministro do Interior da Turquia, Efkan Ala, depois de uma reunião com o colega alemão, Thomas de Maizière.
 
O ministro alemão do Interior afirmou que não há indícios de que o atentado tivesse a Alemanha como alvo.
 
"No estado atual das investigações, nada indica que o atentado fosse dirigido contra alemães e não vejo nenhuma razão para desistir das viagens a Turquia", referiu.