Um tribunal de Istambul condenou dois caricaturistas turcos a 11 meses e 20 dias de prisão por insultarem o Presidente da Turquia, penas posteriormente comutadas em multas de 7.000 liras (2.500 euros), escreve esta quarta-feira o jornal «Hürriyet».

Os dois condenados, Bahadir Baruter e Ozer Aydogan, desenharam na primeira página do semanário «Penguen» um empregado do palácio presidencial dando as boas-vindas a Erdogan enquanto abotoa o casaco e inclina a cabeça.

 
Os advogados do chefe de Estado consideram que o empregado, ao abotoar o casaco, forma um círculo com os dedos, que consideram o símbolo dos homossexuais e um insulto para o Presidente.

Em sua defesa, Baruter assegurou que não tinha intenção alguma de insultar Erdogan e que essa interpretação da caricatura está relacionada com o subconsciente do procurador.

O Ministério Público abriu uma nova investigação sobre essa declaração de defesa do cartoonista.