Uma mulher da República Checa sobreviveu sozinha e durante um mês às temperaturas muito baixas e aos ventos muito fortes que se fazem sentir nas montanhas da Ilha do Sul, Nova Zelândia, depois de o seu parceiro ter morrido durante o percurso.

O jovem casal fazia o caminho de Routeburn. Trata-se de um trajeto de 32 quilómetros na região montanhosa de Fiordland, onde os montanhistas enfrentam condições adversas: temperaturas muito baixas, que levam à formação de neve, e ventos muito fortes.

Começaram o percurso no dia 26 de julho, mas dois dias depois, o pior aconteceu. Segundo a turista, o parceiro caiu de uma encosta muito íngreme e, apesar dos seus esforços para o salvar, não sobreviveu.

Depois da morte do parceiro, a mulher dormiu três noites ao relento até encontrar a cabana onde se abrigou e viveu durante um mês.

Ainda segundo o que contou às autoridades, terá tentado pedir ajuda através de sinais na neve. Terá desenhado a letra "H" na neve como pedido de socorro, na esperança de que outros montanhistas associassem a letra à palavra "help" (ajuda). Mas ninguém foi ao seu encontro.

A mulher foi encontrada esta quarta-feira, depois de, esta semana, a Embaixada da República Checa na Nova Zelândia a ter dado como desaparecida. A turista apresentava ferimentos ligeiros e alguns sinais de hipotermia.

A polícia neozelandesa classifica este caso como uma situação "muito invulgar" no país por ser "muito incomum" alguém estar desaparecido durante tanto tempo sem haver um alerta nesse sentido.

Este é um caso muito invulgar", afirmou Olaf Jensen, chefe de investigação da zona central dos Lagos Otago. "É muito incomum alguém estar desaparecido durante tanto tempo na Nova Zelândia e não ser dado como desaparecido", completou.

 As autoridades acrescentaram que pretendem agora resgatar o corpo do homem.

O trajeto de Routeburn é normalmente percorrido em três dias, mas o casal ter-se-á perdido por não ter visto as marcas do percurso e por causa da espessura da neve.

Este trajeto é um dos mais procurados pelos entusiastas da natureza. Contudo, nos meses de inverno, pode ser bastante perigoso para os menos experientes.