Os jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico tomaram Tataouine, uma cidade da Tunísia, onde nos arredores se filmaram algumas cenas da saga «Star Wars» («Guerra das Estrelas»). O nome Tataouine inspirou o nome de «Tatooine», o planeta natal da família Skywalker nos filmes de George Lucas. A cidade é agora base dos terroristas que estão à procura de campos para treinos na Líbia, a cerca de 100 quilómetros de distância, noticia a CNN.
 
Ainda de acordo com a cadeia de televisão norte-americana, no início de março, três jovens foram presos no local por pretenderem cruzar a fronteira para se juntarem ao grupo terrorista.
 
Mais recentemente foram encontrados, perto de Tataouine, dois depósitos de armas, incluindo um local onde havia mais de vinte mil munições e lança-granadas, embora não haja ligações formais entre estes locais e o Estado Islâmico, diz o jornal britânico «The Guardian».
 
Após o atentado em que mais de 20 pessoas morreram e 40 ficaram feridas, no Museu Nacional do Bardo na capital da Tunísia, o país permanece sob tensão, com presença militar reforçada nas cidades e zonas de segurança junto às fronteiras com a Líbia e a Argélia. Os homens que atacaram o Bardo teriam sido treinados pelo Estado Islâmico na base líbia de Derna.
 
Mesmo 39 anos depois do primeiro filme da saga «Star Wars», Tataouine ainda consta nas rotas de férias de muitos dos fãs do realizador George Lucas, que se deslocam à Tunísia para ver o local. A Tunísia, que tem outros locais que foram usados em filmagens, alguns deles abandonados, estava a capitalizar a situação em termos de turismo.
 
O próximo episódio da saga «Guerra das Estrelas», será filmado em países como Reino Unido, Emirados Árabes Unidos e Irlanda, realizado e produzido por JJ Abrams.