O Estado Islâmico reivindicou, esta quarta-feira, o atentado terrorista que ontem matou 12 pessoas na Tunísia, avança a agência Reuters, que cita comunicado do grupo jihadista.

Os terroristas explodiram um autocarro na capital, Tunes, que transportava membros da guarda presidencial. A explosão aconteceu na avenida Mohamed V, pedro da sede do RCD, o partido que Governou o país desde 1956 até 2011. 

Na sequência deste ataque, o presidente da Tunísia, Beji Caid Essebsi, declarou o estado de emergência durante 30 dias.

Recorde-se que o Estado Islâmico já reivindicou outros dois ataques terroristas na Tunísia este ano: em março, homens armados mataram 21 turistas num museu; em junho,  38 estrangeiros foram mortos num hotel de praia por um único atirador.