O rei Juan Carlos falou esta segunda-feira ao povo espanhol, pelas 12:10 (hora de Lisboa) para explicar os motivos que o levaram a abdicar do trono, depois do primeiro-ministro ter anunciado ao país que o Rei dar lugar ao filho, Felipe de Borbón. Ao fim de 39 anos de reinado e depois da «queda» da figura real de Juan Carlos, devido a várias polémicas nos últimos anos, a monarquia espanhola tenta agora um novo renascer.

Na comunicação ao país, Juan Carlos considerou ser preciso procurar um caminho novo para a novas geração «que reclama um papel de protagonista» e que é capaz de enfrentar «com determinação» as mudanças e reformas que a atual conjuntura «exige».

Perfil: Juan Carlos I, o rei da transição

«Hoje merece passar à primeira linha uma geração mais jovem, com novas energias, decidida a empreender com determinação as transformações e reformas que a conjuntura atual está a exigir», disse, numa declaração aos espanhóis.

Veja como fica a linha de sucessão ao trono de Espanha

Numa declaração que foi para o ar poucos minutos depois da uma da tarde (menos uma hora em Lisboa), Don Juan Carlos recordou que subiu ao trono com «o firme compromisso de servir os interesses gerais de Espanha» e transformar o país numa «democracia moderna, plenamente integrada na Europa». «Hoje, quando olho para trás, não posso sentir se não orgulho e gratidão para convosco. Orgulho pelo muito e pelo bom que conseguimos ao longo destes anos», disse.

Na comunicação, o monarca referiu-se ainda à «profunda crise económica» e às «sérias cicatrizes» que esta causou na sociedade espanhola, mas vislumbrou o lado bom dessa crise: «estes anos difíceis permitiram-nos fazer um balanço autocrítico dos nossos erros e das nossas limitações como sociedade».

«Como contraponto, permitiu-nos também reavivado a consciência orgulhosa do que soubemos e sabemos fazer e do que fomos e somos: uma grande nação», sublinhou.

Letizia, uma rainha para o povo

O Rei sofreu nos últimos tempos várias operações à anca e a sua saúde tem vindo a ficar mais frágil, no entanto, fonte da Casa Real garantiu à agência Reuters que Juan Carlos abdica por motivos políticos e não de saúde.

«Este processo vai desenvolver-se com plena normalidade, num contexto de estabilidade institucional e como mais uma expressão da maturidade da nossa democracia», afirmou Mariano Rajoy na declaração ao país, ao início da manhã.

O tweet da abdicação

O chefe de Governo anunciou a realização, terça-feira, de um Conselho de Ministros extraordinário para cumprir os trâmites da Constituição, esperando que em breve as Cortes possam proceder à proclamação de Felipe de Borbon como Rei de Espanha.

O Rei Juan Carlos tem 76 anos e abidica ao fim de 39 anos a liderar Espanha. O seu reinado viveu nos últimos anos algumas polémicas com grande parte dos espanhóis a defenderem a abdicação.

«Por que no te callas?»

Um dos escândalos está relacionado com a investigação judicial por corrupção ao seu genro, Inaki Urdangarin, e à filha, a princesa Cristina. Mas a polémica que mais terá ferido o rei foi o acidente que Juan Carlos sofreu numa caçada aos elefantes no Botsuana.

A indignação com a monarquia espanhola levou já partidos e cidadãos a convocar através das redes sociais concentrações para esta segunda-feira, às 20:00, para exigir um referendo para que o povo possa decidir se quer ou não manter a monarquia.