O Governo australiano ofereceu à Indonésia a possibilidade de troca de prisioneiros pelos dois cidadãos australianos condenados à morte e que se encontram na última fase antes da execução, disse esta quinta-feira a ministra dos Negócios Estrangeiros, Julie Bishop.

A chefe da diplomacia australiana expôs a ideia na terça-feira à noite durante uma conversa telefónica com a sua homóloga indonésia, Retno Marsudi, diálogo que uma publicação do grupo News Corp Australia descreveu como «tenso».

«O que procurávamos era a oportunidade de discutir opções disponíveis na área da transferência de prisioneiros, uma troca de prisioneiros», disse Bishop, depois de participar numa vigília pelos dois australianos, esta quinta-feira, em Camberra.

Bishop referia-se à situação dos traficantes de droga Andrew Chan, de 31 anos, e Myuran Sukumaran, de 33, que se encontram na ilha de Nusakambangan, onde se espera que sejam executados em breve, apesar de a data ainda não ter sido anunciada.

Segundo a ministra, ainda não foram discutidos detalhes sobre a possível troca de prisioneiros, estando o Governo australiano agora à espera de uma resposta por parte do Executivo indonésio.

O primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, que também participou na vigília, afirmou que solicitou à Indonésia para ter uma última conversa telefónica com Widodo.

«Posso garantir que esse pedido será aceite», assegurou Abbott, sublinhado que a Austrália «respeita a Indonésia e honra a sua amizade, mas defende os seus valores e os seus cidadãos».