O ex-presidente israelita, Moshe Katsav, vai ser julgado por violação, assédio sexual e obstrução à justiça, anunciou o Governo israelita, citado pelas agências internacionais.

O político, de 63 anos, já tinha sido foi forçado a demitir-se em 2007 depois de terem vindo a público as acusações de assédio, conduta indecente e, num dos casos, de violação, feitas por várias mulheres que trabalharam com ele.

Katsav fez um acordo com a Justiça, o que lhe permitiria não ser julgado por crimes com penas superiores a 20 anos de prisão, caindo assim o crime de violação, mas, surpreendentemente, decidiu ir a tribunal para poder provar a sua inocência.

Moshe Katzav foi eleito Presidente em 2000, derrotando Shimon Peres, que o substituiu em 2007.