O Parlamento da Ucrânia votou esta terça-feira uma resolução que determina o envio do presidente Viktor Yanukovich para ser julgado por «crimes graves», no Tribunal Penal Internacional, assim que for capturado.

A resolução foi esmagadoramente apoiada pela assembleia, ligada a Ianukovich, que foi deposto no sábado e se encontra em fuga.

Em causa, a violência policial contra manifestantes, que causou a morte de mais de 100 pessoas e feriu mais de dois mil.

Ainda de acordo com a resolução, citada pelo «The Independent», dois dos aliados mais próximos de Ianukovich - o ex-ministro do Interior, Vitaly Zakharchenko, e ex-procurador-geral, Viktor Pshonka - , também procurados pelas autoridades, devem igualmente ser enviados ao Tribunal Penal Internacional, em Haia.